• T-
  • T
  • T+
CÓDIGO SINDICAL: 565.000.02779-7
Filiado à CUT Contracts

ARTIGO - Carta ao Senhor José Ivo (Sartori)

É possível ver no seu passado muito que lhe abone. Na aurora do movimento ecológico no RS, o Sr., então jovem deputado, apoiou micro minoria lúcida e heroica de ambientalistas a combater e evitar o tubão, aquele insensato projeto de levar dejetos do polo petroquímico de Triunfo para poluírem a Lagoa dos Patos. O idealismo daqueles cidadãos evitou a catástrofe, e o Sr. estava ao lado deles. Que diria aquele digno deputado hoje ao governador que consterna ambientalistas, a comunidade científica e a opinião pública, ao destruir a Fundação Zoobotânica e, junto com ela, o Museu de Ciências Naturais, o Jardim Botânico e o Jardim Zoológico? 

 O Sr. é formado em Filosofia; desde a Grécia antiga, é filósofo quem ama o conhecimento e se dispõe a melhorar sua vida, e de sua comunidade, a partir da consciência adquirida. Seria demais esperar que alguém com tal diploma ame ou, ao menos, respeite o conhecimento? Com que título designar, todavia, quem agride as fontes do saber? Como aceitar que órgãos de pesquisa e produção do conhecimento, de produção e guarda de acervos históricos, culturais e científicos, de análise e planejamento, de difusão da cultura, sejam destruídos por quem deveria protegê-los? Sr. José Ivo: é clamoroso o sentimento de luto neste momento, em que se torna iminente a consumação de uma tragédia no RS.

 Não se pode argumentar critério de austeridade orçamentária quando se atacam órgãos de desenvolvimento social e econômico, geradores de ganhos para a sociedade e o erário estadual. Eis a Cientec, autora de estudos que levaram à implantação do polo petroquímico, hoje responsável por 3,5% da arrecadação do Estado. Desenvolvimento e planejamento requerem recursos humanos qualificados, inteligência e pesquisa, mas assistimos estarrecidos, nestes dias, que o Sr. proibiu a FEE de pesquisar (!), e prepara seu fim. Isto é uma catástrofe, Sr. José Ivo, e catástrofe é o movimento para baixo, ora provocado por sua caneta de infausta tinta.  

À crise econômica, muito grave, se acrescentou nova crise, inoportuna. Hoje, mesmo seus leais colaboradores assistem atônitos ao avanço de um plano cujo resultado é a degradação da qualidade de vida nesta terra. Como o Sr., nascido e crescido em região industriosa, usa o poder para eliminar fontes do desenvolvimento? Ainda pior, como o Sr., um político nato, recusa o diálogo com a sociedade? Esta insensibilidade faz somar-se indignação ao luto. São assim tão preciosos os ditames ideológicos, que mandam desmontar-se a esfera pública e os serviços de Estado?  

Sr. José Ivo, aceite mais este apelo, somado a tantas vozes prudentes. Aproxima-se o fim de seu mandato. Não carregue para sempre a vergonha de ter atacado a cultura, a educação e a ciência. Não há qualquer valor no orgulho de persistir-se no erro. Será um gesto admirável se atender a este rogo, que não é só meu, e suspender o destino trágico que ora põe-se à frente das Fundações. Ainda precisamos criar um futuro melhor, e para isso precisamos de mais inteligência.
 
Coluna de Francisco Marshall em Zero Hora de 17/3/2018
 
Voltar
  • SEMAPI-RS
  • 0800 5174 06
    (51) 3287 7500
    (54) 3039 3033 (Caxias do Sul)
    (55) 3029 1232 (Santa Maria)
  • ouvidoriasemapi@gmail.com
  • Rua General Lima e Silva, 280 / Porto Alegre - RS - CEP: 90050-100
    Rua Pinheiro Machado, 1652 / 1º andar / Centro / Caxias do Sul
    Santa Maria: Rua Dr. Bozano, 1147 / salas 206A e 206B / Centro / Santa Maria
  • Newsletter