• T-
  • T
  • T+
CÓDIGO SINDICAL: 565.000.02779-7
Filiado à CUT Contracts

Greve dos petroleiros: luta pela soberania nacional

Apesar de ser uma das maiores greves da história, a mobilização dos petroleiros está sendo desprezada pela grande mídia. Desde o dia 1/2, trabalhadores da Petrobras de todo o Brasil iniciaram uma grande paralisação, que teve como estopim as demissões na Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen-PR). O fechamento da unidade provocou a demissão de mil pessoas, e por isso deveria ter sido previamente negociado com os sindicatos que representam os trabalhadores (como determinado pelo acordo coletivo) – o que não ocorreu.

Importante destacar que a Fafen era a última empresa do país que fabricava ureia pela Petrobras, um dos insumos mais utilizados na agricultura e pecuária. Dessa forma, existe a possibilidade de produtores aumentarem o preço da carne para compensar o valor mais caro da ureia (que precisará ser importada) ou, ainda, para não deixarem o gado passar fome (sem o suplemento alimentar), passem a utilizar ureia agrícola – cujo processo leva formol e representa risco para a população.

Sob o mote "Privatização da Petrobras: isso é da sua conta!!", os petroleiros também querem mostrar que a dependência do reajuste da gasolina, do óleo diesel e do gás de cozinha ao mercado internacional deixam o Brasil exposto a flutuações de preços no exterior. Além disso, os trabalhadores estão aproveitando o movimento para conscientizar sobre os efeitos negativos para o bolso dos consumidores sobre a venda de ativos da companhia, como as refinarias. Segundo a Federação Única dos Petroleiros (FUP), o fechamento das refinarias da Petrobras traz ainda outro problema: o fim da produção do ARLAN 32, elemento químico utilizado no catalisador de caminhões a diesel que auxilia na redução da emissão de poluentes.

Neste contexto, é extremamente importante que todos nós sejamos solidários aos petroleiros, não apenas porque também são trabalhadores como nós, mas porque são eles que estão na linha de frente da batalha contra o desmonte da Petrobras. Ou seja, apoiar a greve dos petroleiros é também fortalecer o Brasil.
 


Foto: FUP
 
Voltar
  • SEMAPI-RS
  • 0800 5174 06
    (51) 3287 7500
  • ouvidoriasemapi@gmail.com
  • Travessa Alexandrino de Alencar, 83, bairro Azenha - Porto Alegre/RS
  • Newsletter